AL reduz em 20% o número de entradas de adolescentes nas Unidades de Internação

Texto de Giselle Vasconcelos e Victor Brasil

Educação, saúde e desenvolvimento social são os pilares da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev) na construção de uma nova consciência dos adolescentes em medida socioeducativa. O reflexo deste trabalho é a redução de 20% de atos inflacionais e entradas nas Unidades de Internação, no período de março a junho de 2017, se comparado ao mesmo período no ano anterior.

Durante o período analisado, foram implantados diversos novos procedimentos e padrões e as Unidades de Internação foram adequadas às normas do Estatuto da Criança e do Adolescente (Eca) e do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase).

Segundo a superintendente de Medidas Socioeducativas da Seprev, Denise Paranhos, todas estas mudanças estão possibilitando um maior cuidado para com os adolescentes, o que vem resultando em efetivas modificações nos comportamentos e nas condutas de quem está cumprindo medidas socioeducativas.

“Os adolescentes estão chegando aqui e se deparando com uma realidade totalmente diferente do que encontravam anos atrás. Isso tudo faz com que o adolescente se interesse pelos estudos, pela cultura, pelo esporte e não queira mais uma vida na criminalidade”, enfatizou Denise Paranhos.

É exatamente com este pensamento que está o socioeducando, M.A.S.S, de 17 anos. “Não quero mais essa vida de criminalidade. Aqui na internação já fiz cursos para ter uma profissão lá fora”, disse.

Veja também  Prova Brasil mobiliza gestores e alunos de escolas estaduais da 1ª Gere

Esforço reduz novos atos infracionais

No primeiro semestre de 2016, a Seprev contabilizou a entrada de 204 adolescentes em uma das unidades de internação. Já no primeiro semestre de 2017, este número ficou na casa dos 160 adolescentes, o que representa uma redução de mais de 20%.

Para o presidente da Associação Alagoana de Magistrados, juiz Ney Costa Alcântara, o Governo de Alagoas está cada vez mais cumprindo com as normas do Sistema Nacional de Atendimento Socieducativo (Sinase). O resultado é a diminuição de adolescentes nas unidades de internações masculinas e femininas.

“Acompanho o avanço da Superintendência em Medida Socioeducativa da Seprev. Há um grande avanço quando vejo o passado das unidades de internação do nosso Estado. Hoje a gente ver estrutura”, relatou Ney Alcântara.

“E quando diminui o número de adolescentes homens, consequentemente diminui o número na Unidade de internação Feminina”, afirmou o juiz, ao lembrar que, atualmente, apenas sete adolescentes estão cumprindo a medida na Unidade de Internação Feminina (UIF).

Atualmente, as unidades de internação contam com sete meninas, em uma unidade com capacidade para 34, e 268 meninos, em uma capacidade total para 317 vagas.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: