AL reduz em 20% o número de entradas de adolescentes nas Unidades de Internação

Texto de Giselle Vasconcelos e Victor Brasil

Educação, saúde e desenvolvimento social são os pilares da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev) na construção de uma nova consciência dos adolescentes em medida socioeducativa. O reflexo deste trabalho é a redução de 20% de atos inflacionais e entradas nas Unidades de Internação, no período de março a junho de 2017, se comparado ao mesmo período no ano anterior.

Durante o período analisado, foram implantados diversos novos procedimentos e padrões e as Unidades de Internação foram adequadas às normas do Estatuto da Criança e do Adolescente (Eca) e do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase).

Segundo a superintendente de Medidas Socioeducativas da Seprev, Denise Paranhos, todas estas mudanças estão possibilitando um maior cuidado para com os adolescentes, o que vem resultando em efetivas modificações nos comportamentos e nas condutas de quem está cumprindo medidas socioeducativas.

“Os adolescentes estão chegando aqui e se deparando com uma realidade totalmente diferente do que encontravam anos atrás. Isso tudo faz com que o adolescente se interesse pelos estudos, pela cultura, pelo esporte e não queira mais uma vida na criminalidade”, enfatizou Denise Paranhos.

É exatamente com este pensamento que está o socioeducando, M.A.S.S, de 17 anos. “Não quero mais essa vida de criminalidade. Aqui na internação já fiz cursos para ter uma profissão lá fora”, disse.

Veja também  Radiocomunicadores vão fortalecer segurança das Unidades de Internação de Adolescentes

Esforço reduz novos atos infracionais

No primeiro semestre de 2016, a Seprev contabilizou a entrada de 204 adolescentes em uma das unidades de internação. Já no primeiro semestre de 2017, este número ficou na casa dos 160 adolescentes, o que representa uma redução de mais de 20%.

Para o presidente da Associação Alagoana de Magistrados, juiz Ney Costa Alcântara, o Governo de Alagoas está cada vez mais cumprindo com as normas do Sistema Nacional de Atendimento Socieducativo (Sinase). O resultado é a diminuição de adolescentes nas unidades de internações masculinas e femininas.

“Acompanho o avanço da Superintendência em Medida Socioeducativa da Seprev. Há um grande avanço quando vejo o passado das unidades de internação do nosso Estado. Hoje a gente ver estrutura”, relatou Ney Alcântara.

“E quando diminui o número de adolescentes homens, consequentemente diminui o número na Unidade de internação Feminina”, afirmou o juiz, ao lembrar que, atualmente, apenas sete adolescentes estão cumprindo a medida na Unidade de Internação Feminina (UIF).

Atualmente, as unidades de internação contam com sete meninas, em uma unidade com capacidade para 34, e 268 meninos, em uma capacidade total para 317 vagas.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: