Alagoas contará com novas oficinas profissionalizantes no sistema prisional

Texto de Maysa Cavalcante

Proporcionalmente, Alagoas é o Estado que mais emprega apenados no país e, entre os custodiados inseridos no mercado de trabalho, o  índice de reincidência criminal é inferior a 2%. Visando potencializar o acesso à qualificação, a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) implantará quatro oficinas profissionalizantes no sistema prisional até dezembro deste ano.

O secretário executivo de Gestão Interna da Seris, Marcos Henrique,  recebeu na segunda-feira (22) o assessor executivo de Contratos e Convênios da Seris, Marcos Lima, o diretor-presidente da Reviver, Odair Conceição, a subchefe do Presídio do Agreste, Débora Amorim, e representantes do setor de engenharia da Seris para debater a implantação de duas oficinas no Presídio do Agreste.

A unidade, localizada em Girau do Ponciano, receberá as oficinas de tijolos ecológicos e artefatos de concreto. Já em Maceió, no Presídio Feminino Santa Luzia, será montada uma oficina de corte e costura industrial, enquanto que no Núcleo Ressocializador da Capital (NRC) funcionará uma oficina de panificação e confeitaria.

Inicialmente, serão beneficiados 20 reeducandos por turma, que após a conclusão do curso serão multiplicadores do conhecimento adquirido, possibilitando que as oficinas ofereçam capacitação de modo permanente. O assessor executivo de Gestão Interna da Seris, Marcos Henrique, destacou que oferecer perspectivas profissionais para os custodiados é uma forma de evitar a reincidência criminal.

Veja também  Feira Junina é recebida com festa no Shopping Popular

“Ao sair do sistema prisional, o ideal é que o reeducando já saia encaminhado para o mercado de trabalho, com uma expectativa profissional. Isso é um estimulante para que eles aprendam novas profissões. Já estamos estudando novos meios para a utilização dessa mão de obra qualificada, como a criação de uma fábrica de tijolos destinada para egressos do sistema prisional”, revelou.

O presidente da Reviver, Odair Conceição, afirmou que a empresa está receptiva a implantação das oficinas no Presídio do Agreste. “Esse apoio faz parte da visão da Reviver no processo de ressocialização do indivíduo. Queremos somar com essa iniciativa brilhante porque é através da capacitação, da oportunidade profissional ainda no cárcere, que os reeducandos vislumbram uma nova perspectiva de vida”, disse.

Convênio

As oficinas fazem parte do convênio nº 124/2012 do Projeto de Capacitação Profissional e Implantação de Oficinas Permanentes (Procap), através do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Com a iniciativa, é possível oferecer ao reeducando subsídios para melhoria de suas condições de vida, através do treinamento profissional e do oferecimento de trabalho remunerado, conforme disposto nos arts. 28 e 31 da Lei de Execuções Penais ( LEP).

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: