Bombeiros explicam quando devem ser acionados para ocorrências com árvores

Texto de Stephany Domingos

A temporada de chuvas trouxe grandes transtornos para Alagoas, e a queda de árvores está entre as maiores solicitações recebidas na Central Integrada de Operações. De 3 a 5 de julho, o Corpo de Bombeiros atendeu a 20 ocorrências envolvendo árvores, que podem estar classificadas em queda propriamente dita ou risco iminente de queda.

Na quadra chuvosa alagoana que se iniciou em maio foram registradas e atendidas 106 ocorrências relacionadas a cortes de árvores em todo o Estado. Além disso, muitas são as ligações recebidas na Central para situações em que não estão previstas a atuação do Corpo de Bombeiros.

Segundo o coordenador de Operações, capitão Gilson Melo, que está de serviço nesta quarta-feira (5), somente no período da manhã foram mais de 30 solicitações de atendimentos, e a maioria deles não era caso de queda e nem risco iminente.

Segundo o capitão Igor Pontes, subchefe da Seção de Planejamento e Avaliação Operacional do Comando Operacional Metropolitano é comum as pessoas acharem que o Corpo de Bombeiros é responsável por todas as ocorrências que envolvem árvores, porém não é assim que ocorre.

“Nós atendemos às ocorrências de árvores que estejam realmente causando perigo de acidentes, seja por risco de queda iminente ou por já ter caído”, explicou.

Veja também  Alagoas inaugura um dos mais modernos laboratórios de restauração de documentos

Com isso, só deve ser solicitada a atuação do Corpo de Bombeiros nas situações já mencionadas. Nestes casos, uma equipe vai até o local fazer a vistoria e, posteriormente, o corte da árvore, se for necessário. Se ela já estiver caída, obstruindo vias e causando riscos à integridade física de pessoas, os bombeiros eliminam o risco, ficando, nos dois casos, a responsabilidade da limpeza do local pelo órgão competente.

As demais ocorrências devem ser informadas à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, para que sejam tomadas as providências cabíveis.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: