Chá de Memória de agosto traz o jornalista e escritor Audálio Dantas

Texto de Maria Barreiros

Aproximação entre o passado e o presente, preservação da história, contada de forma dinâmica e testemunhal. Esses  são os principais propósitos do Projeto Chá de Memória, promovido pelo Gabinete Civil, por meio do Arquivo Público de Alagoas (APA). A ação faz parte da programação mensal das comemorações dos 200 anos de emancipação política de Alagoas e acontecerá nesta terça-feira (29), na sede do APA, no bairro Jaraguá, às 16h.

O convidado do mês de junho é o jornalista e escritor Audálio Dantas, alagoano de Tanque D’arca,  premiado pela ONU por sua luta em favor dos direitos humanos. Também foi presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo à época do assassinato pela ditadura militar do jornalista Vladimir Herzog,  e ao longo dos seus 85 anos, continua atuando no segmento.

Dantas vai abordar a temática das Notícias de Alagoas, ao longo dos 200 anos. Segundo a diretora do Arquivo Público de Alagoas, Wilma Nóbrega, como principal órgão responsável pela guarda, conservação e disseminação da história administrativa de Alagoas, realizar eventos como o Chá de Memória fortalece a missão de fomentar a pesquisa e Audálio Dantas falará de forma única sobre diversos assuntos que fizeram parte da história de Alagoas e do Brasil.

Veja também  Presídio Santa Luzia será unidade piloto do Projeto Lêberdade

“O Chá de Memória é o marco de uma nova conduta de aproximação adotada pelo Governo, por meio do Arquivo Público, possibilitando uma relação mais direta com a comunidade alagoana,” afirmou ela, relembrando que durante este Chá de Memória será o último dia da exposição de fotos “Arretada Labuta” do fotógrafo argentino, Pablo de Luca.

Audálio Dantas

Escritor e poeta, o nordestino Audálio Ferreira Dantas nasceu em 1929, na cidade de Tanque D’Árca, no Agreste de Alagoas. O alagoano se encaminhou para a área do Jornalismo, na década de 50, de forma acidental. É pai de quatro filhos e casado há  quase três décadas com Vanira Kunc.

O jornalista é autor de livros como Graciliano Ramos, O menino Lula, O Tempo de Reportagem: histórias que marcaram época no jornalismo brasileiro, As duas guerras de Vlado Herzog: da perseguição nazista na Europa à morte sob tortura no Brasil, entre outros.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: