Com bons resultados, projeto Lêberdade inicia novo ciclo em presídio feminino

Texto de Maysa Cavalcante

Diante dos bons resultados alcançados no Presídio Santa Luzia, a Gerência de Educação, Produção e Laborterapia da Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) planeja levar o projeto Lêberdade para outras unidades, como o Presídio do Agreste.

O ponta pé inicial para implantação do projeto, desenvolvido pela Seris em parceria com a Secretaria da Educação e Poder Judiciário, foi dado em abril de 2017, no Presídio Santa Luzia. A unidade foi a primeira a desenvolver as atividades que incentivam o acesso ao conhecimento por meio da leitura e possibilita aos participantes a remição de até 48 dias de pena por ano.

“Para mim, a leitura faz com que a rotina na unidade se torne mais leve, contribui para manter meus sonhos vivos. No presídio reaprendendo a viver, a esperar e a amar. Com o Lêberdade passei a refletir sobre o tempo que perdi. Entretanto, tenho consciência que nada é definitivo, é possível mudar”, revela a reeducanda Silvana Monteiro uma das 250 custodiadas que já foram beneficiadas pelo projeto no Presídio Santa Luzia.

Para que a expansão seja possível, no entanto, é necessária a participação da sociedade civil, principalmente da comunidade acadêmica, com a doação de obras literárias.

Veja também  HGE registra 2.582 atendimentos nos feriados prolongados de Natal e Réveillon

“Em 2017 realizamos seis ciclos do projeto e recebemos a doação de mais de mil obras. O livro é uma ferramenta indispensável para que a iniciativa tenha continuidade e, assim, beneficie ainda mais reeducandas. Mas para expandir o Lêberdade e abranger outras unidades prisionais, é essencial o recebimento de novas obras literárias”, ressalta a supervisora de Educação, agente penitenciária Genizete Tavares.

“Além da remição da pena, a iniciativa da Seris estimula o poder de argumentação, entendimento e espera. Ontem eu fui uma pessoa e hoje serei a pessoa que eu desejar. O livro produz efeitos inimagináveis para quem ler. Acredito que a educação é a única forma de mudar qualquer coisa neste mundo para melhor”, disse a custodiada Silvana Monteiro.

Aqueles que desejam conhecer as ações do projeto e contribuir com a ampliação do Lêberdade por meio da doação de livros, devem procurar a Gerência de Educação, Produção e Laborterapia da Seris, localizada na Fábrica da Esperança, no Complexo Penitenciário, em Maceió, ou entrar em contato com os profissionais do setor através do número (82) 3315-1757.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: