Escolas históricas da rede estadual, Bom Conselho e Almeida Cavalcanti comemoram aniversário com programação especial

Texto de Ana Paula Lins

Duas escolas históricas e tradicionais da rede pública estadual terão dias festivos nesta segunda quinzena de outubro. Completando respectivamente 85 e 140 anos, as escolas estaduais Almeida Cavalcanti, de Palmeira dos Índios, e Bom Conselho, de Maceió, celebram seu legado para a educação alagoana com uma programação especial voltada para toda a sociedade.

Referências nas comunidades onde estão localizadas, as instituições elaboraram um cronograma de atividades que incluem desfiles em praça pública, apresentações culturais e reencontro com ex-alunos.

Pioneira de Palmeira – Fundada em outubro de 1932, a Escola Estadual Almeida Cavalcanti – que leva o nome do major Manoel de Almeida Cavalcanti, ajudante de ordem do coronel Pedro Paulino da Fonseca, primeiro governador de Alagoas – é a primeira escola pública estadual de Palmeira dos Índios.

Cercada por alguns dos principais pontos históricos da cidade – a Casa Museu Graciliano Ramos, o Museu Xucurus, a Catedral Metropolitana e a Praça das Caçuarinas – a unidade teve no seu quadro de professores duas irmãs de Graciliano Ramos – Wanda e Daia Ramos – e é conhecida pela qualidade do seu ensino. A escola também impressiona pela beleza e preservação arquitetônica, mantendo intacta a mesma estrutura de 80 anos atrás.

Na semana de 16 a 19 de outubro, a unidade promove diversas atividades comemorativas, a exemplo do desfile em praça pública (dia 16, a partir das 9h), exposição cultural (dias 17 e 18, das 8h-11h, 14h-17h, na escola), celebração ecumênica (dia 18, 19h, na escola) e baile Saudade Jovem (dia 19, 16h, Casa de Show Aquarius).

A diretora Rejane Ramos conta que, durante todo o ano, os estudantes estiveram mobilizados no projeto interdisciplinar “Escola Estadual Almeida Cavalcanti, há 85 anos construindo histórias em Alagoas”, onde pesquisaram a história da instituição por meio do resgate de memórias de ex-alunos e professores.

“Eles estão engajados há meses, fizeram entrevistas, levantaram dados históricos e, a partir daí, elaboraram diversas atividades, a exemplo de produção de biografias, memórias, peças teatrais, fanzines, murais e apresentações artísticas”, adianta a gestora.

O tesouro de Bebedouro

Fundada em 1877 para ser um lar para as órfãs da Guerra do Paraguai, a Escola Estadual Bom Conselho é um patrimônio do bairro de Bebedouro, com a sua história se confundindo com a do próprio bairro.

Veja também  Escola Silvestre Péricles prepara alunos para Flipontal 2017

Inicialmente chamada de Asilo das Órfãs Desvalidas Nossa Senhora do Bom Conselho, o espaço era administrado por senhoras da sociedade alagoana, passando posteriormente para a Ordem das Irmãs Sacramentinas em 1904. Em 1938, passa a se denominar Escola Normal Rural Nossa Senhora do Bom Conselho, enquanto, em 1964, inicia a oferta do curso pedagógico como Colégio Bom Conselho. Nos anos 90, é incorporada à rede estadual de ensino passando a se chamar Escola Estadual Bom Conselho.

A antiga casa cor de rosa, onde ficavam as internas, já não funciona como a escola – que agora ocupa um prédio ao lado – mas guarda a memória da Sociedade Nossa Senhora do Bom Conselho e impressiona pela beleza e imponência.

A programação comemorativa, que ocorre de 23 a 27 de outubro, inclui inauguração de galeria de ex-alunos ilustres no dia 23; bate papo com ex- alunos no dia 24; desfile da banda fanfarra pelas ruas de Bebedouro no dia 25 (com a presença também das escolas estaduais Alberto Torres, Rosalvo Ribeiro e do colégio particular São Lucas); show de talentos e homenagens a alunos e servidores destaque no dia 26 e sarau cultural no dia 27 comandado pela ex-aluna Maria Madalena Oliveira.

Damiana Melo, diretora da instituição, fala de sua paixão pela escola e comunidade e relata a alegria pela reativação de um seus maiores patrimônios, a banda fanfarra, algo que aconteceu graças às ações que a unidade empreendeu para estimular o protagonismo juvenil entre seus alunos.

“Mês passado, quando estivemos ensaiando na Praça Lucena Maranhão, em Bebedouro, as pessoas nos abordavam constantemente, felizes por ver novamente a banda. Há 140 anos o Bom Conselho vem prestando um serviço determinante não só para aquela comunidade, mas para toda a sociedade alagoana e o empenho de todos aqueles que fazem a escola é fazer com que ela continue brilhando e contribuindo com o nosso estado”, afirmou a gestora.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: