Exposição alerta visitantes para os riscos causados pelo tabaco

Texto de Marcel Vital

Em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Fumo – instituído no dia 29 de agosto de 1986 – a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) lançou, nessa terça-feira (29) a exposição A Trajetória do Controle do Tabaco no Brasil. A ação, que está ocorrendo no Maceió Shopping, em frente ao Cine Kinoplex, e se estende até a quinta-feira (31), visa mostrar os embates travados entre as organizações brasileiras ligadas à saúde pública e a indústria do fumo, a partir do século XX.

Realizada em parceria com o Instituto Nacional de Câncer (Inca) e a Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), a exposição está dividida em 23 banners, que apresentam o esforço dos sanitaristas brasileiros frente ao estímulo do consumo de cigarros e seus derivados.

Os painéis, que podem ser visitados das 10h às 22h, trazem cartazes de cinema e campanhas publicitárias que tinham o objetivo de seduzir as pessoas a consumirem cigarros, além dos esforços dos órgãos governamentais para mostrarem os malefícios do cigarro, para que o Brasil avançasse no controle do tabaco e protegesse gerações futuras sobre seus riscos.

A exposição também destaca as campanhas criadas por órgãos governamentais, mostrando os malefícios do uso do cigarro. Nesse sentido, a organização da exposição considera “fundamental informar os jovens sobre os danos que o tabagismo causa à população de fumantes e não fumantes, além de ressaltar que existem também tratamentos pela rede pública de saúde”, destacou Vetrúcia Teixeira, coordenadora do Programa de Combate ao Tabagismo da Sesau.

Veja também  Vigilância Sanitária Estadual alerta para riscos de produtos tradicionais no Carnaval

Ao visitar a exposição, Josefa Severina Benedito, de 30 anos, aprovou a ideia. Ela achou importante apresentar, sucintamente, informações objetivas sobre os aspectos gerais do tabaco e suas consequências para a saúde.

“Essa exposição foi uma experiência que me trouxe muito crescimento e aprendizado. Em qualquer caso, não aconselho ninguém a fumar cigarros ou usar qualquer outro produto de tabaco, porque, além de adoecer e matar seus dependentes, o mesmo dopa silenciosamente”, evidenciou.

Dados – Segundo o último levantamento realizado pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), Alagoas registrou 3.847 óbitos na faixa de etária de 30 a 69 anos em 2013. Em 2012, foram 3.671 e, no ano anterior, foram 3.703.

A nicotina, um dos principais componentes do tabaco, é um estimulante potente, de acordo com Vetrúcia Teixeira. Conforme a responsável técnica pelo Programa de Combate ao Tabagismo da Sesau, alguns segundos após a inalação do fumo, a substância alcança o cérebro e estimula a produção de adrenalina, produzindo um aumento do ritmo cardíaco e da pressão arterial.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: