Fapeal apresenta investimentos em curso de mestrado da Ufal

Texto de Tárcila Cabral

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) participou na  quinta-feira (31) da aula inaugural da segunda turma de Mestrado Profissional de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (Profnit). O evento ocorreu na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e oportunizou um momento diferenciado ao fugir dos padrões regulares das salas de aula.

Na oportunidade, o diretor-presidente da Fapeal, FábioGuedes, que compõe o quadro do Profnit, ressaltou os auxílios concedidos em dois anos de trabalho, ao revelar que o órgão investiu mais de 13 milhões em bolsas e mais de R$ 3 milhões em inovação tecnológica.

Na ocasião, três docentes foram convidados de sua grade curricular a compor o momento “Alagoas: Ciência, Tecnologia e Inovação, uma ópera em três atos”.

Guedes abordou ainda sua experiência como gestor, além dos pesquisadores Francisco Rosário e Eduardo Setton. Guedes explanou sobre os parâmetros atuais de produção científica, brasileira e de inserção estadual.

O gestor citou os déficits ainda apresentados para qualificação da pesquisa e aperfeiçoamento do nível de estudos no país, sobretudo nesta fase de contingenciamento de recursos federais. Porém, analisou os pontos fortes: sistemas de pós-graduação bem estabelecidos, conjunto respeitável de instituições, crescimento científico, entre outros.

Veja também  Templos banhados a ouro, erguidos por uma família e frequentados por negros; conheça as igrejas de Penedo

“A Fapeal tem primado por adotar mais editais e nos empenhamos em tratar os desiguais de forma desigual, apoiando-os para torná-los aptos à competição nacional. Estamos fortalecendo o sistema de ensino acadêmico do estado, atendendo à comunidade científica, interiorizando a pesquisa e aproximando a universidade das políticas públicas”, explicou o presidente.

A Fundação passou a cooperar com as instituições internacionais, realizando parcerias com o British Council e a Inria France. Estas colaborações ampliam o âmbito da pesquisa alagoana, possibilitando que ela ocupe novos espaços e se faça conhecer em outros patamares.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: