Governador defende duplicação de vias litorâneas entre Maceió e Recife

Texto de Severino Carvalho

O governador Renan Filho afirmou, nesta segunda-feira (2), em Maragogi, que duas obras são fundamentais para o desenvolvimento turístico e econômico da região Norte de Alagoas: a duplicação das rodovias estaduais entre Maceió (AL) e Recife (PE) e a construção do Aeroporto Regional. Durante a manhã, ele participou da abertura do congresso “Diálogo Municipalista”, que acontece até esta terça (3), no auditório do Salinas do Maragogi All Inclusive Resort. O evento é promovido pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e conta com o apoio da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA).

Sobre a duplicação das rodovias AL-101 Norte e PE-060, Renan Filho defendeu que o Governo Federal garanta os recursos necessários à obra, ao se dirigir ao ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, presente ao evento.

“Esse trecho entre as duas capitais, que deve ter cerca de 250 quilômetros. É, dos oito mil quilômetros de litoral brasileiro, um dos mais visitados. Estão aqui cidades como Maragogi, em Alagoas, e Porto de Galinhas, no município pernambucano de Ipojuca. A duplicação dessas rodovias, nos dois Estados, junto com a construção do Aeroporto Regional de Maragogi, vai melhorar bastante o fluxo de turistas, atrair novos hotéis e fortalecer essa cadeia produtiva que é uma das que mais empregam em Alagoas e precisa cada vez mais avançar”, destacou o governador.

Enquanto a obra não chega, o Governo do Estado trabalha para manter e recuperar a malha viária que corta a Região Norte. Renan Filho anunciou que, até o final deste ano, toda a AL-101 Norte será recuperada de São Luís do Quitunde à Maragogi, na divisa com Pernambuco. As obras já começaram.

“Ela será 100% recuperada num investimento de R$ 35 milhões em recursos próprios. Vamos entregar essa estrada novinha para quem é da região e para quem vem pra cá. Vamos fazer os acessos de Campestre e melhorar as estradas de Jacuípe e Jundiá, que ligam essa região à BR-101”, garantiu.

O Governo do Estado já está duplicando a AL-101 Norte, no trecho de 5,8 km entre Cruz das Almas e Jacarecica, em Maceió. A obra está orçada em R$ 41 milhões, recursos estaduais e da União.

Aeroporto

Acerca da construção do Aeroporto Regional de Maragogi, Renan Filho informou que o projeto, orçado em cerca de R$ 100 milhões, está pronto e será remetido ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil para que a obra seja licitada em breve.

“Acedito que Maragogi é, dentre as cidades que não  têm aeroporto, a que mais recebe turistas no Brasil. De maneira que, se existe uma cidade para se escolher para fazer um aeroporto, essa cidade é Maragogi, que recebe grande número de turistas. A obra vai fortalecer todo o Norte de Alagoas”, avaliou.

Veja também  Prefeitura substitui tubulação de drenagem no Salvador Lyra

Governança

O ministro do TCU, Augusto Nardes, apresentou, durante a abertura do congresso, o projeto para instituição da “Lei da Governança”, que pretende lançar para o Brasil a partir de Maragogi, inicialmente tratando do turismo e meio ambiente para depois se expandir às demais áreas da administração pública.

“O grande problema do Brasil é a falta de Governança. Aliás, o país quebrou por isso, em relação às contas públicas e toda a estrutura tratada sem o planejamento adequado. Com essa nova lei, que estou articulando com o presidente da República Michel Temer, quero fazer a implantação aqui em Maragogi para fortalecer o turismo, o desenvolvimento sustentável e o meio ambiente”, revelou o ministro.

Em seu discurso, Renan Filho destacou a importância da Governança, instalada desde o primeiro dia de sua gestão em Alagoas.

“Ao assumir o Governo, imediatamente reduzi o tamanho da máquina pública. Diminuímos de 32 secretarias para 20, cortamos 30% dos cargos em comissão e instituímos um modelo de Governança Corporativa no primeiro dia de gestão. Trouxemos, ainda, as boas práticas da iniciativa privada para o Governo, estabelecendo metas e marcos de acompanhamento”, recordou.

Ele arrematou explicando que os ajustes iniciais, a exemplo das revisões nos contratos e a diminuição da máquina pública, permitiram que um Estado pobre como Alagoas se convertesse, no presente, na Unidade da Federação com maior responsabilidade fiscal do país, aferida por vários órgãos de controle, inclusive pelo Tesouro Nacional, o que tem permitido a realização de investimentos de grande porte – feitos com recursos próprios – nas áreas da Saúde, Educação e Segurança Pública, principalmente.

Anfitrião do encontro, o prefeito de Maragogi e terceiro vice-presidente da CNM,  Fernando Sérgio Lira, disse que sente lisonjeado em sediar o encontro, um momento ímpar para o município turístico e toda a Região Norte do Estado. Ele também destacou a importância da Governança na gestão pública.

“A Governança impõe que as ações estratégicas e as políticas públicas tenham continuidade”, observou Sérgio Lira. “E sustentabilidade é a palavra de ordem. É preciso fazer com que ela aconteça para que haja o desenvolvimento do turismo e a preservação ambiental. Aí está o cerne da questão”, concluiu.

O congresso “Diálogo Municipalista” reuniu mais de 350 participantes, entre prefeitos alagoanos, vereadores, secretários municipais, empresários do setor turístico e hoteleiro, dentre outros. O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima, também participou do evento, que prossegue amanhã.

Com o tema “Turismo e Cultura: Ações para o Desenvolvimento Local”, o congresso promove o debate construtivo e a troca de experiências, a busca pela melhoria da gestão municipal, o reflexo para a população e o incremento de receitas locais. O presidente da AMA, Hugo Wanderley, participa do evento.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: