Governador pede união de prefeitos para recuperar cidades afetadas pelas chuvas

Texto de Severino Carvalho

O governador Renan Filho conclamou os mais de 30 prefeitos, reunidos na manhã desta segunda-feira (29), no Palácio República dos Palmares, a se unirem de forma ‘republicana e suprapartidária’ para prestar assistência às vítimas das chuvas e recuperar as áreas afetadas em todo o Estado. Ele ressaltou a importância do encontro, destinado à coleta de dados que subsidiarão a confecção do Formulário de Informações do Desastre (Fide), remetido, posteriormente, ao Governo Federal.

“O Estado está pronto para ajudar amplamente e nos casos específicos de cada cidade. Num momento de dificuldades como esse é preciso agir de maneira colaborativa, trabalhando todos juntos, de maneira suprapartidária e republicana, deixando de lado questões menores, provincianas e políticas, para colocar em primeiro lugar o interesse do povo alagoano, que está precisando muito do nosso apoio”, conclamou Renan Filho.

A reunião foi convocada pelo presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Hugo Wanderley, conjuntamente com o governador, que recebeu os prefeitos no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares. Renan Filho presidiu a sessão e determinou a abertura de duas outras salas onde técnicos do Governo iniciaram a coleta de informações sobre os danos provocados pelas chuvas junto aos prefeitos.

“Essa reunião é muito importante porque vai possibilitar o preenchimento do Fide que será enviado ao Governo Federal e possibilitará a ampliação do decreto de situação de emergência, feito pelo Governo do Estado, inicialmente para duas cidades: Marechal Deodoro e Maceió. Outras serão incorporadas, a exemplo do Pilar, Jacuípe, dentre outros municípios”, acrescentou.

O governador disse que o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho – que veio a Alagoas no domingo (28) junto com o presidente Michel Temer -, deseja reconhecer, o quanto antes, o decreto de situação de emergência em Alagoas em âmbito nacional.

“Eu coloquei para o presidente algo muito importante: governador, presidente da República e prefeitos têm que transformar as intenções em concretude para a população, transformá-las em ações imediatas. O presidente esteve aqui e eu falei que o ideal para materializar a intenção é editar uma Medida Provisória que permita a ação preventiva. Nós precisamos fazer obras de contenção de enchentes”, enfatizou Renan Filho.

Ele afirmou que essa foi uma tragédia anunciada e que as enchentes vêm marcando a história de Alagoas há décadas. “Em 2010, o presidente Lula editou uma Medida Provisória para a reconstrução. Acredito que agora seja necessário editar uma MP para a prevenção, para a contenção de enchentes nos Vales do Mundaú, do Paraíba, do Jacuípe e do Camaragibe para contemplar, sobretudo, a Zona da Mata e o Norte de Alagoas”, detalhou.

Veja também  Segunda fase de capacitação do Programa Criança Feliz é concluída

Além disso, Renan Filho afirmou que é necessário cuidar de Maceió, porque 250 mil alagoanos moram em grotas ou nas imediações destas. “Se esses 250 mil alagoanos formassem um município, este seria o segundo maior de Alagoas”, comparou.

“Assim como o Governo do Estado faz com o Programa Vida Nova nas Grotas (Pequenas Obras, Grandes Mudanças), o Governo Federal precisa colocar recursos em contenção de encostas e em prevenção, de maneira mais ágil”, recomendou.

Após a fase de socorro às vítimas, inicia-se a etapa de assistência aos desabrigados e aos desalojados, feita conjuntamente pelo Estado, municípios e a União.

“O Governo do Estado se coloca à disposição para viabilizar os meios, ao lado das prefeituras, para que a gente minimize os impactos das chuvas. Já começamos a fazer isso com ambulâncias, médicos, água potável, com a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros. No domingo (28) coloquei todos os médicos militares que se apresentaram para trabalhar e vamos colocá-los também no Pilar e em outras cidades que estejam em situação de emergência, inclusive em Maceió, onde fortalecemos os plantões médicos das unidades hospitalares”, citou.

Para o governador, a reunião desta segunda-feira (29) marca o início da reorganização das cidades afetadas pelas chuvas que atingem Alagoas há mais de uma semana e que deixaram mais de mil famílias desabrigadas, cinco mortos e quatro desaparecidos.

Limpeza e reorganização

Renan Filho garantiu que o Governo do Estado vai se transferir a todas as cidades atingidas pelas enchentes para ajudar na limpeza e no ordenamento dos municípios.

“Quando falo que o Estado vai, vão todas as secretarias e todos os órgãos. Vamos colaborar com a limpeza e reorganização das cidades. Sugiro que as prefeituras façam uma força-tarefa. O segundo passo importante é a ‘Operação Volta pra Casa’ para aqueles cujos imóveis não estão mais em risco. Quem não tiver condições de voltar, porque a casa caiu, vamos ter que dar uma solução definitiva. Isso fará parte do levantamento e do formulário que vamos começar a preencher hoje (segunda-feira)”, explicou.

Além dos prefeitos, participaram da reunião o ministro do Turismo, Max Beltrão; o deputado estadual Francisco Tenório; secretários estaduais, além do comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Adriano Amaral; do coordenador estadual da Defesa Civil, Moisés Melo, dentre outras autoridades.

Fonte: Agência Alagoas
Compartilhe: