Governo se mobiliza contra os riscos de enchentes em Alagoas

Texto de Agência Alagoas

De Brasília, o governador Renan Filho convocou uma reunião entre a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e o Gabinete Civil para análise do quadro das chuvas que caem em todo Estado e dos riscos de enchentes na Capital e no interior. A Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) também participou do encontro.

O major Moisés Pereira de Melo, coordenador da Defesa Civil, fez um detalhado relato da situação em todo o Estado e destacou os cuidados com o rio Jacarecica, pois é aquele que está recebendo o maior volume de água e o único, por enquanto, a correr risco de transbordamento.

“Já deslocamos equipes dos Bombeiros e técnicos da Defesa Civi para as margens do rio Jacarecica, assim como entramos em contato com a Defesa Civil do Município de Maceió, e estamos trabalhando em conjunto”, informou o major Moisés.

Alexandre Ayres, secretário de Estado dos Recursos Hídricos, relatou que os rios Mundaú e Paraíba ainda não correm riscos de enchentes, pelo fato de, até agora, as chuvas em suas cabeceiras, no estado de Pernambuco, não serem intensas.

Veja também  Vacinação contra o rotavírus humano está liberada em Alagoas

“Estamos acompanhando, permanentemente, a situação nesses dois rios e nos demais situados nas áreas de chuvas mais intensas. No momento, apenas o Jacarecica apresenta problemas com o aumento do volume de água”.

Alexandre Ayres descreveu também o trabalho da Sala de Alerta, onde é monitorada a situação climática 24 horas por dia, ininterruptamente, e que está sendo acompanhado pela Defesa Civil Estadual e pelos órgãos municipais de Defesa Civil.

O secretário do Gabinete Civil, Fábio Farias, declarou que o governador Renan Filho entrou em contato com o prefeito Rui Palmeira e com o presidente da AMA [Associação dos Municípios Alagoanos], Hugo Wanderley, para colocar à disposição dos municípios a estrutura do Governo do Estado no caso de qualquer emergência.

Fonte: Agência Alagoas
Compartilhe: