Jovens ultrapassam barreiras e superam dificuldades nos Jogos Estudantis

Texto de Lucas Leite

A superação marcou o penúltimo dia dos Jogos Estudantis de Alagoas (Jeal) 2017. Atletas-estudantes sobrepujaram os obstáculos nesta segunda-feira (28) durante as competições de atletismo e paralimpíada escolar, realizadas no Estádio Rei Pelé, no bairro do Trapiche da Barra.

Na ocasião, os alunos das redes municipal, privada e estadual competiram em modalidades como: corrida, arremesso de peso e salto à distância. Entre eles, estava Iara Aniele Pereira da Silva, da Escola Estadual José Aprígio Vilela (Teotônio Vilela), que faturou o primeiro lugar no arremesso de peso.

Dedicada, Iara revelou que, além das quatro linhas da quadra de futsal, ela nunca havia corrido na vida. “Eu participo da equipe de futsal da escola. Como não nos classificamos na modalidade, pedi ao professor para participar do atletismo. Acho muito válido você praticar vários esportes, pois esporte é vida”, contou. 

A estudante relata ainda que a dedicação foi essencial. “Eu treinava o tempo todo, após as aulas, durante cinco dias na semana. Sempre acreditei no meu potencial. Acho que todos nós devemos sair da zona de conforto e fazer algo produtivo”, afirmou Iara.

O segundo e terceiro lugar da modalidade, respectivamente, ficaram com Mirele Henrique dos Santos, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Paulo Soares de Albuquerque, de Coqueiro Seco; e Maria Vitória Dayane dos Santos, da Escola Estadual Djalma Barros Siqueira, de Coruripe.

Desafios – A realização dos jogos paralímpicos corroborou com a ideia de superação dos estudantes no Rei Pelé.

Veja também  MPF seleciona voluntários para Procuradoria em Maceió e Arapiraca

“Os atletas já vêm participando de outros jogos, a nível estadual e nacional, e se destacado. Acho muito importante ver a superação dos jovens, mostrando que não há limites. As pessoas falam que eles são ‘especiais’, por portarem alguma deficiência. Eu acredito que eles são especiais por ultrapassarem essas barreiras”, comemora Rosângela Gomes, coordenadora da modalidade no Jeal 2017.

Acompanhada da mãe e do professor que a treinou, Yasmim Soares da Silva, da Escola Estadual Ozória de Moura Lima, de Rio Largo, mostrou que para ela, os obstáculos são apenas objetos e que, com dedicação e força de vontade, é possível superá-los. A jovem foi medalha de ouro nos 100 metros feminino, categoria F20.

“É a primeira vez que eu estou participando dos jogos. Estava cansada de ficar na internet, e com a ajuda do professor, decidi fazer uma atividade física. Estou feliz porque vou para São Paulo competir”, diz Yasmim, referindo-se à capital que sediará a etapa nacional dos Jogos.

O professor Pedro Henrique, que trabalha com Yasmin, fala com emoção da medalha conquistada pela garota. “É uma sensação gratificante e inexplicável ver nossos alunos recebendo uma medalha, mas, isto não é o mais importante: o mais importante é fazer com que eles socializem e interajam com outras crianças”, declara.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: