Mais de 2 mil pessoas são beneficiadas com o projeto Agentes da Paz

Texto de Victor Brasil

Desde o início deste ano, a Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev) vem fortalecendo a reinserção social e produtiva de dependentes químicos recuperados pela Rede Acolhe. Com o projeto Agentes da Paz, mais de duas mil pessoas já começaram a ser beneficiadas em todo o estado.

Além de identificar os dependentes químicos que já passaram por alguma das 37 comunidades acolhedoras e conseguiram se afastar das drogas, o projeto Agentes da Paz vem possibilitando o acesso à cidadania, o que vai garantir a reinserção social e produtiva.

Nas regiões Agreste e Baixo São Francisco, por exemplo, os Agentes da Paz foram responsáveis pela emissão de mais de 20 documentos, entre eles RG, Carteira de Trabalho e Registro de Nascimento. Além disso, foram concretizadas matrículas escolares, marcadas consultas médicas, exames e três cirurgias já foram realizadas.

O projeto Agentes da Paz tem como base a aplicação da Lei 7.865/2017, que institui a política estadual de reinserção produtiva para dependentes químicos recuperados, gerando vagas para contratos de trabalho.

A lei de autoria do deputado estadual Carimbão Júnior e sancionada pelo governador Renan Filho estabelece que órgãos da administração estadual direta ou indireta devem reservar um percentual mínimo de vagas de trabalho para dependentes químicos recuperados.

Veja também  Atividades e serviços movimentam o Cras Dom Adelmo no Prado

O projeto foi apresentado, nesta segunda-feira (22), para os dependentes químicos recuperados do município de Rio Largo. Na próxima semana, será a vez dos beneficiados de Inhapí, Canapí e Mata Grande conhecerem o novo projeto e seus benefícios.

Compartilhe: