Mais de 2 mil pessoas são beneficiadas com o projeto Agentes da Paz

Texto de Victor Brasil

Desde o início deste ano, a Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev) vem fortalecendo a reinserção social e produtiva de dependentes químicos recuperados pela Rede Acolhe. Com o projeto Agentes da Paz, mais de duas mil pessoas já começaram a ser beneficiadas em todo o estado.

Além de identificar os dependentes químicos que já passaram por alguma das 37 comunidades acolhedoras e conseguiram se afastar das drogas, o projeto Agentes da Paz vem possibilitando o acesso à cidadania, o que vai garantir a reinserção social e produtiva.

Nas regiões Agreste e Baixo São Francisco, por exemplo, os Agentes da Paz foram responsáveis pela emissão de mais de 20 documentos, entre eles RG, Carteira de Trabalho e Registro de Nascimento. Além disso, foram concretizadas matrículas escolares, marcadas consultas médicas, exames e três cirurgias já foram realizadas.

O projeto Agentes da Paz tem como base a aplicação da Lei 7.865/2017, que institui a política estadual de reinserção produtiva para dependentes químicos recuperados, gerando vagas para contratos de trabalho.

A lei de autoria do deputado estadual Carimbão Júnior e sancionada pelo governador Renan Filho estabelece que órgãos da administração estadual direta ou indireta devem reservar um percentual mínimo de vagas de trabalho para dependentes químicos recuperados.

Veja também  Usuários utilizam bilhetagem eletrônica implantada em ônibus metropolitanos

O projeto foi apresentado, nesta segunda-feira (22), para os dependentes químicos recuperados do município de Rio Largo. Na próxima semana, será a vez dos beneficiados de Inhapí, Canapí e Mata Grande conhecerem o novo projeto e seus benefícios.

Compartilhe: