Núcleo Ressocializador celebra seis anos de sucesso com ciclo de palestras

Texto de Mayara Wasty

O Núcleo Ressocializador da Capital (NRC), unidade prisional cuja metodologia de atuação é baseada no respeito, completa seis anos no sábado (5). Para comemorar os resultados positivos do modelo prisional, a Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) desenvolve uma série de atividades destinada aos servidores e reeducandos, nesta semana.

As atividades terão início nesta terça-feira (1º), com o ciclo de palestras ‘A Chave do Sucesso’, ministrada pela coach Rita Diaz. Com carga horária de 8 horas/aula e dividido em quatro módulos – Mente Consciente e Subconsciente; Crenças Limitantes; Gatilhos Mentais e Elaboração do Projeto -, a ação irá despertar as potencialidades mentais dos servidores.

Formada pelo Instituto Brasileiro de Coach (IBC), Rita Diaz explica que nas palestras, serão abordados temas como a necessidade de projetar corretamente o futuro. “Queremos ajudar no processo de conscientização da importância de pensar e agir de forma correta, de eliminar preconceitos e crenças erradas, selecionar os pensamentos e analisar as situações de forma positiva”.

Para o chefe do NRC, Élder Rodrigues, a atividade é importante para reconhecer o trabalho dos servidores. “É muito produtivo para os agentes participarem desse curso, pois aumenta a autoestima do servidor penitenciário. Precisamos prestigiar os agentes penitenciários e mantê-los motivados para que continuem fazendo um grande trabalho nos presídios alagoanos”, explicou.

Veja também  IMA lança guia de identificação das espécies mais traficadas em Alagoas

Evolução

Inaugurado em 4 de agosto de 2011, o NRC funciona no antigo Presídio Rubens Quintella. O prédio, interditado pela justiça em 2007, foi reformado com recursos próprios do Estado e mão de obra carcerária. A unidade é o único presídio do país cuja metodologia é baseada nos Módulos de Respeito, tendo como diretrizes o diálogo, a transparência e a honradez.

A iniciativa é inspirada em uma experiência realizada em Leon, na Espanha, e trazida para o Brasil pelo Estado de Goiás. Atualmente, Alagoas é a única unidade federativa que trabalha com o projeto. Com um índice de reincidência criminal inferior a 5%, o NRC atende totalmente às determinações da Lei de Execuções Penais (LEP) e é referência em gestão prisional.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: