Oficinas orientam sobre a importância de implementar a vigilância sociossistencial

Texto de Renata Bello

Responsável por alocar recursos, definir e fortalecer serviços, a Vigilância Socioassistencial em Alagoas requer atenção dos gestores municipais. Por este motivo, a Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seades) está promovendo oficinas regionais sobre o tema.

Nesta terça-feira (8), na cidade de Maragogi, foi a vez dos municípios da região norte tirarem suas dúvidas a respeito da implantação da Vigilância Socioassistencial e sobre o Registro Mensal de Atendimentos nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

Na medida em que as informações  sobre ambos os centros são registradas mensalmente pelas unidades, é possível mapear tanto a oferta de determinados serviços, quanto o volume de atendimento. Assim, o RMA tem um papel essencial no planejamento e na tomada de decisões no campo das políticas públicas de Assistência Social.

Segundo a gerente de vigilância socioassistencial, Aline Rodrigues, encontros como este também é importante para orientar os gestores e técnicos sobre a implantação deste setor, já que apenas 16 municípios possuem a área formalmente estruturada.

“Sabemos também que apenas 11 municípios possuem profissionais trabalhando exclusivamente neste área. Diante destes números, o Governo do Estado tem trabalhado para que mais municípios implantem o setor e consequentemente, ampliem dos resultados e das ações sociais que estão sendo desenvolvidas em cada território”, explica.

Veja também  Governo do Estado abre licitação para ampliar Centro de Convenções de Maceió

Além da região Norte, as regiões de Alto e Médio Sertão já participaram da oficina. Nas próximas semanas será a vez das regiões do Agreste, Metropolitana, Tabuleiros do Sul, Planalto da Borborema, Serrana dos Quilombos e Baixo São Francisco.

Fonte: Agência Alagoas

Foto: Ascom Seades

Compartilhe: