ONU-Habitat alinha com a Desenvolve ações do programa Vida Nova nas Grotas

Texto de Eliete Amâncio

Representantes do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) estiveram reunidos, na manhã desta terça-feira (5), com os diretores da Desenvolve, para alinhar as ações que serão desenvolvidas em parceria com o órgão na ampliação do alcance das metas propostas pelo programa Vida Nova nas Grotas.

A ocasião serviu para que os representantes da Organização da Nações Unidas pudessem entender melhor de que forma a agência tem contribuído para ajudar a incluir economicamente os moradores das grotas de Maceió.

Como parte essencial neste processo de inclusão, Flávio Dória, diretor de Desenvolvimento e Projetos da Desenvolve, lembrou que “a premissa da instituição tem sido planejar estratégias de desenvolvimento local, respeitando as características e as potencialidades de cada região, com atividades que proporcionem a inclusão produtiva dos moradores”.

A analista de programa da ONU, Daphne Besen, enalteceu o trabalho inclusivo realizado pela Desenvolve e sinalizou que o papel da entidade mundial é de atuar na busca de dados em campo, com os detalhamentos socioeconômicos e geoespaciais dessas áreas.

“Esses dados vão nortear as decisões e apontar as prioridades. Vamos reunir as informações em dois planos: informações municipais, sobre a realidade de toda a cidade de Maceió, e as reuniões específicas das grotas. A missão do ONU-Habitat será potencializar as ações que o Governo do Estado já vem executando nas grotas da capital”, disse a analista.

Veja também  Uncisal realiza aula inaugural de mestrado em Ensino na Saúde e Tecnologia

Até o momento, a Desenvolve já liberou, através da linha Pró-Comunidade, R$ 521.851,38 para pequenos comerciantes das localidades alcançadas pelo programa.

Foram 97 contratos firmados em 17 bairros da capital, alavancando os negócios de proprietários de pequenos armazéns, mercadinhos, confecções e barbearias, além de outros empreendimentos, que receberam entre R$ 2,5 mil e R$ 7,5 mil com carência de 18 meses para começar a pagar. A Desenvolve analisa atualmente sete contratos que totalizam mais R$ 35 mil em crédito.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: