Programa de Aquisição de Alimentos beneficiará 1. 875 agricultores familiares

Texto de Ronaldo Lima

O Programa de Aquisição de Alimentos de Alagoas (PAA) vai alavancar a produção de 1.875 agricultores familiares em 78 municípios com produtos que vão beneficiar escolas da rede estadual de ensino, creches, hospitais e presídios do Estado. A afirmação é da presidente da Cooperativa dos Produtores Rurais de Arapiraca (Cooperal), Maria José Alves, em agradecimento ao Governo de Alagoas no lançamento do programa, em Santana do Mundaú.

“O PAA Alagoas concretiza um antigo sonho dos pequenos produtores rurais e garante mais segurança no plantio e na comercialização”, reconhece a presidente da Cooperal, Maria José.

Os investimentos são de R$ 15 milhões oriundos do tesouro estadual.

Para citar apenas como exemplo o município de Santana do Mundaú, segundo maior produtor de laranja lima do país, quatro mil produtores rurais passam a comercializar diretamente toda produção ao PAA Alagoas.

Como explica o secretário da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Antônio Santiago, o investimento que o governo faz na agricultura familiar para incentivar a produção representa a valorização do homem do campo. “Trata-se de uma política de fortalecimento da agricultura familiar em Alagoas”.

Veja também  Setembro Amarelo é tema de seminário com servidores da Segurança Pública

Para Elizeu Rego, presidente da Emater/AL, a iniciativa do governador Renan Filho deixa o Estado de Alagoas como pioneiro na implantação do PAA no país.

“A consolidação do PAA Alagoas é um marco e vai fortalecer ainda mais os pequenos produtores familiares nos municípios alagoanos”. Segundo Rego, em dezembro já foram adquridos 55.495 quilos de alimentos e distribuídos a 11.100 famílias.

Roberto Vieira Moura, presidente da Cooperativa de Arroz do Povoado de Ipiranga de Igreja Nova, informa que participa pela primeira vez de um PAA e destaca sua importância social e econômica para os produtores alagoanos. “Para os produtores de arroz de Alagoas é uma grande ajuda, o que vai fortalecer a cadeia produtiva no Baixo São Francisco”.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: