Projetos de Alagoas recebem três premiações do Ministério da Saúde

Texto de Naísia Xavier

Alagoas foi, em 2016, um dos 10 estados do país a conseguir aprovação do governo federal para dar continuidade ao Programa de Pesquisas para o SUS, PPSUS. Na quarta-feira (29), na cidade de São Paulo, o Estado recebeu três premiações do Ministério da Saúde (MS) em reconhecimento deste trabalho.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) receberam menções honrosas pela gestão compartilhada do Programa, na categoria “Produtos e Inovação em Saúde e Experiência Exitosa do Programa Pesquisa para o SUS: gestão compartilhada em saúde – PPSUS”.

O 2º lugar da mesma categoria foi para um projeto apoiado por recursos da Fapeal, que atende crianças no Hospital Universitário.  A pesquisa ‘Fendas orais no SUS – Alagoas: definição de modelo para referência e contrarreferência em genética’ é coordenada pela médica geneticista Isabella Monleó.

Através de investigações genéticas se provê o diagnóstico correto para pacientes que nascem com fendas palatinas, quando se identifica se o problema é isolado ou trata-se de uma das manifestações de alguma síndrome. Daí por diante, fica definido se o paciente demanda atenção específica e os tratamentos adequados têm início.

Com este mesmo projeto, a doutora Isabela Monlleó e sua equipe já ganharam o primeiro lugar entre 15 concorrentes no prêmio ‘Genética para Todos 2015’, promovido pelo 27º Congresso Brasileiro de Genética Médica. Na premiação em SP, o time foi representado pelo seu integrante, doutor Marshall Fontes, também geneticista e docente da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Veja também  Inscrições para articuladores de ensino da rede estadual terminam na sexta (26)

A Fapeal foi representada por seu diretor-presidente, professor Fábio Guedes Gomes, e pela assessora de projetos especiais e inovação Juliana Khalili. Pela Sesau, receberam o prêmio Maria de Fatima Lima e Ivana Pitta, ambas gestoras setor de Ciência e Tecnologia.

“Estamos extremamente felizes com o reconhecimento tanto do trabalho de Isabela Monlleó, que mudou a realidade das crianças atendidas no HU e em outros municípios do Estado, por que este trabalho foi incorporado na prática do sistema de saúde pública em Alagoas”, comemora Juliana Khalili.

A gestora ressalta ainda a satisfação pelo reconhecimento concedido tanto à Fapeal quanto à Sesau: “Sabemos que a gestão deste programa é algo complexo e só pode ter sucesso, como tem o PPSUS Alagoas, por causa dessa parceria entre as duas instituições locais. É muito gratificante ver um trabalho tão duro e tão árduo reconhecido pelo Ministério”, aponta a gestora.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: