Registro de negócios em Alagoas é apresentado para estudantes da Ufal

Texto de Hotton Machado

Alagoas é referência no país em relação ao desenvolvimento do registro empresarial e, para falar sobre as ações que norteiam a Junta Comercial do Estado de Alagoas (Juceal), o presidente Carlos Araújo foi convidado para palestrar, nesta quarta-feira (26), durante a edição deste ano do Congresso Alagoano de Gestão em Economia, Administração e Contabilidade (ConAG), realizado na Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Voltada para estudantes dos cursos de economia, administração e contabilidade, a apresentação fez parte de uma mesa-redonda com tema ‘Empreendedorismo e Novos Negócios: Incentivos ao Desenvolvimento Local’.

Na oportunidade, o presidente do órgão alagoano de registro destacou o trabalho realizado pela Juceal e frisou a atenção direcionada também para a legalização do empreendimento.

“A empresa só tem validade se passar pela Junta Comercial; se o seu cadastro estiver dentro do nosso banco de dados. É como uma certidão de nascimento; se você não tem o registro, você não existe. E, além de fazer o registro e dar publicidade ao ato arquivado, a Junta Comercial integra órgãos do município, do Estado e da Federação, por meio de um cadastro único da empresa, pensando no licenciamento do negócio”, explicou Carlos Araújo.

Alagoas foi o primeiro estado do país a implantar a Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim) em todos os municípios, facilitando o acesso do empresariado ao registro e ao licenciamento, por meio de um ambiente on-line, o Portal Facilita Alagoas.

Veja também  Governo realiza outorga da Medalha Silvio Vianna na próxima quinta-feira (19)

Para os universitários, Carlos Araújo frisou que o sistema utilizado em Alagoas serviu como base para outros onze estados e evidenciou também a usabilidade da consulta prévia – pesquisa de viabilidade de endereço e nome empresarial realizada antes do registro do negócio.

Durante a rodada de perguntas, o gestor foi questionado sobre o período para registro de uma empresa, as opções para entrada da documentação e o trabalho realizado pelo órgão para diminuir a informalidade. Em resposta, Araújo ressaltou que Alagoas possui um dos menores prazos do país, onde um negócio pode ser registrado em até 48h após a protocolização. A disponibilidade da entrada on-line por meio do Facilita e o trabalho de auxílio ao microempreendedor individual (MEI) também foram citados.

A mesa-redonda contou ainda com apresentação do consultor do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Alagoas (Sebrae/AL), Dailson Valença, que tratou sobre plano de negócio, possibilidades de investimentos e avaliação do empreendimento desejado.

A edição do ConAG acontece até esta quinta-feira (27), no campus A. C. Simões, da Ufal, em Maceió.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: