Secretaria da Cultura diploma novos mestres como Patrimônios Vivos de Alagoas

Texto de Paula Nunes e Daniel Borges

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) realiza na terça-feira (22), a diplomação dos novos mestres do Registro do Patrimônio Vivo de Alagoas. A solenidade acontece no Salão de Despachos do Museu Palácio Floriano Peixoto, às 10h.

Iraci Ana Bomfim de Melo e Antônio Celestino da Silva são os dois novos mestres reconhecidos pelo Estado, conforme edital criado pela Lei nº 6.513, de 22 de setembro de 2004, alterada pela Lei nº 7.172, de 30 de junho de 2010.

Os novos membros do Patrimônio Vivo passam a receber uma bolsa mensal no valor de um salário mínimo e meio, como apoio para dar continuidade a suas manifestações culturais.

Para a secretária de Estado da Cultura, Mellina Freitas, o registro dos mestres é uma forma de homenagear a cultura alagoana. Ela destaca a importância de reconhecer esses artistas que preservam nossa cultura, repassando os seus saberes populares para as novas gerações.

“É uma prática que não pode parar. Ao nomear novos mestres estamos criando maneiras de perpetuar nossa cultura. Precisamos, cada vez mais, transmitir esses valores, para fortalecer a própria identidade do alagoano. Os nomes escolhidos são de grande representatividade nas áreas em que atuam”, destacou Mellina Freitas.

Veja também  Governo conclui pavimentação dos eixos viários do Farol em três trechos

Patrimônio Vivo de Alagoas

 São reconhecidos como Patrimônio Vivo do Estado da Alagoas mestres e mestras que detenham conhecimentos ou técnicas necessárias para a produção e preservação de aspectos da cultura tradicional ou popular de uma comunidade estabelecida em Alagoas, nas áreas de danças e folguedos da cultura popular, literatura oral e/ou escrita, gastronomia, música, artes cênicas, artesanato, dentre outras manifestações.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: