Seris dissemina campanha Outubro Rosa no Complexo Penitenciário

Texto de Mayara Wasty

O câncer de mama é o segundo mais comum entre as mulheres no mundo. Discutir sobre o assunto e disseminar informações é fundamental para prevenir a doença. Integrando a campanha do Outubro Rosa, a Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), através da Gerência de Saúde, iniciou nesta semana uma série de ações educativas que terão continuidade até o dia 26 deste mês. Servidoras e reeducandas serão contempladas.

Haverá atendimento médico com encaminhamento para realização de exames de mamografia, palestras motivacional com a servidora Nayara Lima e sobre orientação sexual proferida pela psicóloga Milka Freitas, serviços de beleza através dos salões Ariel Cabelo e Corpo, Bela Hair, Roberta Melo Fashion Hair, Clínica do Cabelo, Vera Paffer, Edvânia Cabelos, Fernanda Cabeleireira e Flor de Liz Depilação, dentre outras iniciativas.

A agente penitenciária e gerente de Saúde Larissa Vital destaca a importância das ações educativas. “Trata-se de um momento para refletir sobre a necessidade de fazer a prevenção, ficar atenta para si mesma. Com orientações e informações combateremos o câncer de mama”, disse.

Nayara Lima trabalha na Seris e venceu a batalha contra a doença e hoje valoriza ainda mais a sua vida. “A prevenção é o mais importante de tudo, temos sempre que procurar nos cuidar. Antes eu não dava tanto valor aos pequenos momentos. Hoje aproveito ao máximo todos os detalhes, sobretudo, ao lado da minha filha que me motiva a seguir em frente todos os dias”, afirma.

Veja também  Programa Mulheres Mil beneficia cerca de 2,5 mil alagoanas em todo o estado

A educadora sexual Milka Freitas levanta questões importantes sobre o assunto. “Acho fantástico esse tipo de iniciativa. Geralmente nessas campanhas focam sempre na prevenção, o convívio com a doença e a superação com o tratamento, mas as pessoas se esquecem de falar da mulher sexual, o quanto ela é abalada sexualmente. Como ela lida com esse corpo antes durante e depois do câncer”, comenta.

A servidora Fabíola Cavalcanti valoriza a campanha. “É muito bom que essas campanhas sejam feitas no sistema prisional como forma de alertar não só para o câncer, mas para outros tipos de doenças”, finaliza.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: