Seris orienta instituições para execução das penas e medidas alternativas

Texto de Mayara Wasty

Acompanhar a execução dos serviços e estreitar os laços com as instituições públicas e sem fins lucrativos que contam com beneficiários do Núcleo de Acompanhamento de Alternativas Penais e Programas de Reintegração Social. Ao todo, 3.820 beneficiários atuam em oito municípios do Estado.

Para fomentar as boas práticas nas instituições, a equipe multidisciplinar da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), que coordena os trabalhos no Núcleo, promove encontros psicossociais periodicamente com os membros das instituições. Além de otimizar os serviços, a medida atende aos requisitos previstos em lei.

A psicóloga da Seris, Emmanuelle Melo, explica que as reuniões aproximam o Núcleo das instituições. “Conhecemos a experiência que a instituição tem com o beneficiário para melhorar, receber sugestões e identificar o benefício que o apenado traz para a instituição”, disse.

Para José Lima da Santos, gestor adjunto da Escola Estadual Rosalva Pereira Viana, os encontros possibilitam uma troca de experiência rica para todos. “Esclarecemos dúvidas para ter um olhar diferente, ajudar e ser ajudado. Para a escola esse trabalho é ótimo”, afirma.

O chefe do Núcleo de Acompanhamento de Alternativas Penais, major Jozinaldo Anízio da Silva, enaltece a importância do fortalecimento do vículo com as instituições conveniadas. “Percebemos que muitas instituições deixam de cumprir alguma coisa por falta de informação. Esse encontro serve para orientar e sanar as dúvidas, além de mostrar a importância do trabalho de reintegração dos apenados”, finalizou.

Veja também  Governador assina OS para início do segundo trecho da duplicação Maceió-Arapiraca

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: