Técnicos são capacitados para tratar fumantes que desejam largar o hábito

Texto de Marcel Vital

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) capacitou profissionais que atuam junto a fumantes que desejam parar de usar produtos derivados do tabaco. O evento foi realizado no Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest), no Conjunto Santo Eduardo, em Maceió.

O debate contou com a participação de 39 especialistas das áreas de Medicina, Serviço Social, Enfermagem, Nutrição, Fisioterapia, Odontologia, Psicologia e Farmácia, que atuam na Promoção da Saúde dos municípios alagoanos. O treinamento foi organizado pelo Programa Estadual de Combate ao Tabagismo.

Para Vetrúcia Teixeira, coordenadora do programa, a capacitação foi importante para sensibilizar os profissionais, a fim de favorecê-los no desenvolvimento de suas competências. Isso porque, para atuar junto às pessoas que desejam parar de fumar, é necessário que os técnicos cumpram a legislação pertinente e utilizem os instrumentos para a realização de ações de controle do tabaco.

“A capacitação é um passo fundamental para a redução da prevalência do tabagismo e, consequentemente, diminuição da morbimortalidade por Doenças Crônicas Não Transmissíveis [DCNTs]. Assim, essa qualificação foi desenvolvida por meio do trabalho articulado de diferentes setores e de parceiros de distintas áreas do conhecimento, reforçando o caráter articulador e integrador que a Sesau representa”, destacou Vetrúcia Teixeira.

A nicotina, um dos principais componentes do tabaco, é um estimulante potente, segundo alerta a coordenadora do Programa Estadual de Combate ao Tabagismo. De acordo com Vetrúcia Teixeira, em apenas alguns minutos após a inalação do fumo, a substância alcança o cérebro e estimula a produção de adrenalina, produzindo um aumento do ritmo cardíaco e da pressão arterial.

Veja também  HGE e UE do Agreste atendem mais de 3 mil pessoas em uma semana

“Em nossos Núcleos de Controle do Tabagismo, que são ferramentas fundamentais para redução do número de fumantes em Alagoas, os usuários aprendem exercícios de respiração e meditação, para que lidem de uma forma tranquila com a ansiedade. Por conta da vontade por fumar, eles acabam ficando de mau humor, irritados e, por vezes, perdem até a concentração”, ressaltou.

Cigarros x Doenças

De acordo com Vetrúcia Teixeira, o uso excessivo do cigarro é apontado como uma causa importante para o desenvolvimento de enfermidades gravíssimas, entre elas as coronarianas, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), câncer de pulmão, infarto do miocárdio, derrame cerebral, úlceras do estômago a impotência sexual masculina. Segundo o último levantamento realizado pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), Alagoas registrou 3.874 óbitos na faixa de etária de 30 a 69 anos em 2013. Em 2012, foram 3.671 casos, e, no ano anterior, foram 3.703.

O tratamento de pacientes acometidos por doenças relacionadas ao tabagismo em Alagoas levou o Sistema Único de Saúde (SUS) a gastar R$ 39 milhões só no ano passado, um número que tem preocupado a área técnica da Sesau. Conforme Vetrúcia Teixeira, a alimentação balanceada e os exercícios físicos são importantes instrumentos para conseguir enfrentar a abstinência de nicotina.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: