Técnicos são capacitados para tratar fumantes que desejam largar o hábito

Texto de Marcel Vital

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) capacitou profissionais que atuam junto a fumantes que desejam parar de usar produtos derivados do tabaco. O evento foi realizado no Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest), no Conjunto Santo Eduardo, em Maceió.

O debate contou com a participação de 39 especialistas das áreas de Medicina, Serviço Social, Enfermagem, Nutrição, Fisioterapia, Odontologia, Psicologia e Farmácia, que atuam na Promoção da Saúde dos municípios alagoanos. O treinamento foi organizado pelo Programa Estadual de Combate ao Tabagismo.

Para Vetrúcia Teixeira, coordenadora do programa, a capacitação foi importante para sensibilizar os profissionais, a fim de favorecê-los no desenvolvimento de suas competências. Isso porque, para atuar junto às pessoas que desejam parar de fumar, é necessário que os técnicos cumpram a legislação pertinente e utilizem os instrumentos para a realização de ações de controle do tabaco.

“A capacitação é um passo fundamental para a redução da prevalência do tabagismo e, consequentemente, diminuição da morbimortalidade por Doenças Crônicas Não Transmissíveis [DCNTs]. Assim, essa qualificação foi desenvolvida por meio do trabalho articulado de diferentes setores e de parceiros de distintas áreas do conhecimento, reforçando o caráter articulador e integrador que a Sesau representa”, destacou Vetrúcia Teixeira.

A nicotina, um dos principais componentes do tabaco, é um estimulante potente, segundo alerta a coordenadora do Programa Estadual de Combate ao Tabagismo. De acordo com Vetrúcia Teixeira, em apenas alguns minutos após a inalação do fumo, a substância alcança o cérebro e estimula a produção de adrenalina, produzindo um aumento do ritmo cardíaco e da pressão arterial.

Veja também  IMA/AL divulga programação do Mês do Meio Ambiente

“Em nossos Núcleos de Controle do Tabagismo, que são ferramentas fundamentais para redução do número de fumantes em Alagoas, os usuários aprendem exercícios de respiração e meditação, para que lidem de uma forma tranquila com a ansiedade. Por conta da vontade por fumar, eles acabam ficando de mau humor, irritados e, por vezes, perdem até a concentração”, ressaltou.

Cigarros x Doenças

De acordo com Vetrúcia Teixeira, o uso excessivo do cigarro é apontado como uma causa importante para o desenvolvimento de enfermidades gravíssimas, entre elas as coronarianas, Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), câncer de pulmão, infarto do miocárdio, derrame cerebral, úlceras do estômago a impotência sexual masculina. Segundo o último levantamento realizado pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), Alagoas registrou 3.874 óbitos na faixa de etária de 30 a 69 anos em 2013. Em 2012, foram 3.671 casos, e, no ano anterior, foram 3.703.

O tratamento de pacientes acometidos por doenças relacionadas ao tabagismo em Alagoas levou o Sistema Único de Saúde (SUS) a gastar R$ 39 milhões só no ano passado, um número que tem preocupado a área técnica da Sesau. Conforme Vetrúcia Teixeira, a alimentação balanceada e os exercícios físicos são importantes instrumentos para conseguir enfrentar a abstinência de nicotina.

Fonte: Agência Alagoas

Compartilhe: