Esporte promove inclusão de crianças do Serviço de Convivência

Cerca de 90 crianças e adolescentes do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) estiveram neste sábado (17) na arena montada para a etapa Maceió do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia Open, realizado na Praia de Pajuçara. As crianças se divertiram assistindo aos jogos e aprenderam técnicas do esporte na Escolinha de Vôlei da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

Participaram da atividade prática na escolinha crianças e adolescentes do Serviço de Convivência dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) Cacilda Sampaio, Cidade Sorriso, Denisson Menezes, Fernão Velho, Pitanguinha, Selma Bandeira, Santos Dumont e do Núcleo do Serviço Caic/Ufal. Todos uniformizados, meninos e meninas aprenderam como o vôlei de praia é jogado, as regras do esporte e a trabalhar em grupo. No fim da atividade elas também ganharam lanches e água para reposição da energia dispendida na atividade.

A garotada se divertiu bastante. Um deles foi Arthur, de 11 anos, do Serviço de Convivência do Cras Santos Dumont. “Foi a primeira vez que joguei vôlei de praia. Aprendi a fazer toque e manchete. É muito legal brincar aqui na praia”, comentou.

Conselheiros Tutelares das Regiões I e VI levaram também cerca de 400 crianças de escolas municipais e estaduais e da Associação dos Pais de Pessoas Especiais (Appe) para participar da escolinha de vôlei e assistir às partidas de vôlei de praia com as melhores duplas do país. A jovem Alessandra Leite (33 anos), da Appe, tem síndrome de Down e também participou das atividades. “Gostei muito de brincar na escolinha de vôlei, mas também tenho um sonho de jogar handebol”, disse Alessandra.

escolinha-de-volei-scfv-7

A garotada praticou o que aprendeu na quadra(Foto:Ascom Semas)

Para o técnico do Serviço de Convivência da Semas, Alderir Souza, esse tipo de atividade é uma oportunidade de acesso ao esporte para crianças e adolescentes. “Nas nossas unidades do SCFV, o esporte é um dos atrativos para os jovens participarem das atividades. A prática de esporte é uma forma de inclusão social. Além da socialização com outras crianças e professores, aumenta a autoestima deles e reforça o trabalho realizado pela Semas no Serviço de Convivência”, explicou Alderir.

Veja também  Projeto Ecoférias tem novidades na programação

Segundo a secretária Municipal de Assistência Social, Celiany Rocha, em Maceió existem três núcleos do Serviço de Convivência que atendem meninos e meninas na faixa etária dos 06 aos 17 anos. “Em 12 Cras da capital também existem grupos do SCFV. Além das atividades desenvolvidas com jovens, os familiares e a comunidade, diariamente acontecem atividades socioeducativas, culturais, esportivas e de lazer visando prevenir a ocorrência de situações de exclusão social e de risco, em especial, a violência doméstica e o trabalho infantil. Parcerias como essas são muito importantes, pois além de despertar o interesse dos jovens pelo esporte, mostra a eles que com esforço e perseverança, se pode conquistar tudo o que quiser”, destacou a gestora.

Vanessa Napoleão/Ascom Semas

 

Compartilhe: