Representante do Pnud apresenta projeto Escola Ativa à Semed

A secretária municipal de Educação, Ana Dayse Dorea, recebeu a coordenadora do Relatório de Desenvolvimento Humano Nacional do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Andréa Bolzon. Durante a visita, foi apresentada à secretária uma proposta de parceria para o melhoramento da escala de Escolas Ativas, uma forma de integrar a comunidade escolar por meio de atividades físicas e esportivas.

Andréa Bolzon explicou que o Pnud, em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), desenvolveu uma régua – parâmetro – que projeta uma escala para medir quais escolas são consideradas ativas. “A intenção é buscar uma parceria para, a partir desse parâmetro, definir quais escolas têm mais possibilidades de desenvolver atividades físicas e esportivas”, afirmou.

O conceito de Escola Ativa foi desenvolvido por meio de uma parceria entre a Universidade de São Paulo (USP) e professores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que estabelece um marco teórico pautado em critérios que constituem a base da Escola Ativa. “Mesmo sem ter uma infraestrutura adequada, pode-se ter uma escola ativa, porque ela é amiga do movimento. As quadras não estão trancadas, os pátios estão abertos, permitindo que a criança se mova. O projeto permite todo o envolvimento da comunidade, envolvimento do corpo docente. A Escola Ativa não é só ativa para as crianças e para os jovens, mas para todos”, justificou.

Veja também  Obra de saneamento altera trânsito no bairro do Prado

A coordenadora ressalta que já foram identificadas, por meio de pesquisa, as escolas menos e mais ativas e defende que para melhorar a escala, é fundamental dialogar com todas as escolas das redes municipal, privada e estadual.

A secretária Ana Dayse disse que a rede municipal está aberta à pesquisa e informou que inicialmente, reunirá os coordenadores das etapas de ensino e gestores escolares para apresentar o projeto Escola Ativa. Como a proposta da pesquisa exige metodologia mais ampla, que inclui as redes privada e estadual, a secretária salientou a necessidade de um novo momento com essas representações. “Nosso próximo passo será reunir o Estado e representantes da rede privada para que possam conhecer os critérios da pesquisa e para definição das variáveis necessárias para que seja realizada”, afirmou Ana Dayse.

A reunião contou com a presença da equipe do Pnud local e da secretária adjunta de Gestão de Pessoas da Semed, Silvia Cardeal.

Janaina Farias – Ascom Semed

Compartilhe: