Técnicas e enfermeiras da SMS participam de pesquisa nacional sobre HPV

Técnicas da Gerência de Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e enfermeiras das unidades de saúde do município participaram nesta terça-feira (23), do treinamento de colaboradores da pesquisa nacional (Estudo POP Brasil) para identificação da prevalência (proporção de casos) do vírus HPV e dos tipos de vírus no país, além de avaliação da eficácia da vacina.

Coordenada em todo o país pelo Instituto de Educação e Pesquisa (IEP) do Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre (RS), a pesquisa – financiada pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS), do Ministério da Saúde, e pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) – tem o propósito de fornecer subsídio para a avaliação e o acompanhamento do Programa Nacional de Vacinação para o HPV, iniciado pelo Ministério da Saúde em 2014, com a imunização contra os tipos 6, 11, 16 e 18, para meninas a partir de 11 anos.

treinamento-hpv-1

“Nesta capacitação, as técnicas Natália Kops e Glaucia Hohenberger, do grupo coordenador do trabalho, estão treinando novos colaboradores para ampliar a pesquisa que já vem sendo desenvolvida em algumas unidades aqui de Maceió e monitorando tanto o que já foi feito quanto o que ainda é necessário fazer para atingir a meta da amostra de 177 meninas pesquisadas em cada uma das capitais nordestinas”, afirma a técnica da Gerência de Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis da SMS, Tereza Carvalho.

Em Maceió, o estudo foi iniciado pelas unidades São José (Canaã), Pitanguinha e Denisson Menezes (Cidade Universitária) em fevereiro deste ano. Nesta etapa, estão sendo incluídas a unidade João Sampaio e as Unidades Docentes Assistenciais (UDAs) Paulo Oliveira Costa, do Cesmac, e Dr. José Lages Filho, da Unit. Na pesquisa, estão sendo avaliados meninos e meninas de 16 a 25 anos, com coleta de secreção oral, vaginal e peniana.

No encontro com as técnicas responsáveis pelos estudos no IEP do Hospital Moinhos de Vento, foram apresentados ainda alguns aspectos preliminares da intervenção da equipe da USF São José – que integra a Estratégia de Saúde da Família – num trabalho de sensibilização para a participação no estudo junto aos alunos da da Escola Estadual Profa. Josefa da Conceição Costa.

Veja também  Agentes auxiliam em interdição em obra da Casal na Jatiúca

treinamento-hpv-4

O estudo – Trata-se de um estudo transversal, no qual é avaliada a presença de HPV genital em homens e mulheres de todas as capitais do Brasil. A amostra será composta por 6.255 mulheres e 1.250 homens, perfazendo um total de 7.505 indivíduos.

O Papilomavírus humano (HPV) é a principal causa do câncer de colo uterino e de verrugas genitais, além de estar associado também a câncer peniano. O câncer de colo uterino é o quarto tipo de câncer mais frequente em mulheres brasileiras, responsável por cerca de 16.000 novos casos por ano.

A grande vantagem no combate ao câncer de colo uterino e verrugas genitais é que, ao prevenir a ocorrência do HPV por meio de vacinas, praticamente é eliminado o risco destas doenças.

Com a adoção da vacina quadrivalente – que protege contra os tipos 6 e 11 (responsáveis por 90% das verrugas genitais) e 16 e 18 (responsável por 70% dos casos de câncer de colo uterino) – para meninas, a partir de 2014, tornou-se imprescindível conhecer a frequência com que esses tipos ocorrem, para estimar o impacto do Programa Nacional de Vacinação contra o HPV.

Para os pesquisadores, é importante considerar ainda que a população não vacinada (homens e mulheres fora da faixa etária da vacinação) tende também a se beneficiar do Programa através da quebra da “cadeia de transmissão” do HPV, pois ao imunizar uma adolescente, é possível impedir que o HPV chegue a novos parceiros que ela venha a ter.

Ascom SMS

Compartilhe: