Troca de experiência fortalece ações de Direitos Humanos em Maceió

A Diretoria de Promoção dos Direitos Humanos da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) promoveu visita técnica a Salvador (BA) para que os profissionais das Coordenações de Direitos conheçam projetos exitosos na área de Direitos Humanos e implementem ações em Maceió.

A diretora de Promoção dos Direitos Humanos da Semas, Arabella Mendonça, ressalta que o intercâmbio entre as prefeituras de Maceió e Salvador possibilita a troca de experiências por parte da Semas na promoção dos Direitos Humanos em Maceió. “A visita técnica facilita o intercâmbio de informações relativas às ações e experiências em direitos humanos que tiveram êxito na capital baiana e que podem ser implantadas em Maceió”, diz Arabella Mendonça.

Os representantes da Semas reuniram-se com a equipe técnica da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza de Salvador. No encontro, foi apresentada a estrutura administrativa da pasta, que passa por uma reformulação. Na capital baiana funcionam 28 Centros de Referência da Assistência social (Cras) e sete Centros Especializados da Assistência Social (Creas).

Nos demais encontros, os técnicos da Semas tiveram a oportunidade de conhecer experiências nas áreas da igualdade racial, gênero e diversidade, cujas ações são realizadas pela Secretaria da Reparação e a promoção dos direitos das mulheres, crianças e adolescentes, estas conduzidas pela Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude de Salvador.

Veja também  Cras mantêm ações especiais para as mulheres até o dia 30

semas-visita-tecnica-salvador-7As ações que chamaram a atenção dos técnicos da Semas relativas à Secretaria de Reparação foi a criação do Programa de Combate ao Racismo Institucional, Selo da Diversidade, Observatório da Discriminação Racial e LGBT e o Cadastramento dos Povos e Comunidades de Terreiro, além do funcionamento em Salvador do primeiro Centro de Referência para a População LGBT que presta auxílio técnico-jurídico a lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros.

Os técnicos da Semas também destacaram as ações da Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude que, embora tenha sido criada há seis meses, presta auxilio às crianças e respectivas famílias, às mulheres que sofreram violência e que são encaminhadas ao Centro Loreta Valadares, onde ocorre o acompanhamento multidisciplinar. E também o encaminhamento das crianças para um Centro de Convivência, enquanto os pais trabalham como ambulantes e catadores durante o Carnaval e em outros eventos.

Participam da visita técnica representantes da coordenação e assessoria da Pessoa com Deficiência, coordenações da Igualdade Racial, Criança e Adolescente, Defesa da Mulher e Diversidade Sexual.

Ascom Semas

 

Compartilhe: