Como funcionam os aviões invisíveis

Como funcionam os aviões invisíveis

Todos sabemos que as forças armadas dos Estados Unidos são as mais fortes e mais bem equipadas do mundo, vamos conhecer mais sobre a tecnologia usada pelos americanos na USAF (United States Air Force) em seus aviões de operações stealth, ou seja, aviões que não aparecem em radares aéreos.

O que faz um avião ser detectado em um radar é o seu nível de RCS (Radar Cross Section), esse nível é calculado pelo tamanho do objeto, o material que ele foi produzido e o formato do mesmo. O que acontece com os aviões invisíveis, é que eles são feitos especialmente para burlar essas características e fazer com que os aviões pareçam ser apenas pequenos animais voadores como uma águia, por exemplo.

Nesse sistema de enganar os radares, várias artimanhas foram inventadas, a primeira, foi um dos primeiros aviões stealth criados, o Horten Ho 229, que era feito de madeira colada com uma resina de carbono e tinha um formato diferente dos aviões normais, seu formato e material absorviam as ondas RCS dos radares da Segunda Guerra Mundial, esse modelo serviu de inspiração para a criação de um dos mais sofisticados aviões Stealth da atualidade, o B-2 Spirit.

Arte de um Horten Ho 229
Arte de um Horten Ho 229

B-2 Spirit

O B-2 Spirit é um bombardeiro estratégico furtivo que pode atingir até 764 Kmh, tem 52,4 metros de envergadura, 21 metros de comprimento e 5,2 metros de altura. Vazio ele pesa 45,3 toneladas e ainda tem a capacidade de atingir até 181,4 toneladas, podendo 22,6 toneladas desse peso máximo ser somente de bombas convencionais ou termonucleares, o alcance da mira do B-2 é de até 11Km de altitude com precisão.

Para não ser detectado, o B-2 conta com assinaturas de acústica, infravermelhos e radar reduzidos; seu material é composto de carbono e grafite, que acaba sendo mais forte que aço e mais leve que alumínio e absorve as ondas RCS; seu design (curvas) também foram feitos para dispersar e refletir as ondas dos radares inimigos; a pintura de seu material é anti-reflexiva para dificultar a visão a olho nu; seus propulsores são enterrados nas asas para diminuir as assinaturas de calor e todo e qualquer material de seu interior é RAM (radar-absorbent materials). Mesmo com todos esses aparatos inteligentes para evitar que o B-2 seja derrubado, ele ainda pode perder sua furtividade ao abrir seu compartimento de bombas que é feito de um material reflexivo, ou seja, pessoas do chão são capazes de vê-lo.

A tecnologia Stealth é, sem dúvidas, um grande invento das forças aéreas americanas, que evoluiu tanto e em tão pouco tempo desde o Horten Ho 229 da Alemanha, com isso, podemos imaginar toda a evolução que ainda pode estar por vir. Imagine só, um dia alguém inventar aviões invisíveis que não podem ser vistos nem pelos radares mais sofisticados que existem. Ou será que eles já existem?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *