--Publicidade--

A hepatite é a inflamação do fígado, que pode ser de origem infecciosa, medicamentosa ou por outras substâncias de uso interno, como o álcool, e ainda por causas imunológicas, como as hepatites autoimunes. Dentre as causas infecciosas, que são as mais comuns, muitos vírus e bactérias podem causar hepatite, tanto como acometimento primário quanto no contexto de uma doença que envolva vários órgãos e sistemas.

Uma confusão muito comum é entre icterícia (pele e olhos amarelados ou esverdeados) e hepatite. Muita gente pensa que toda icterícia é hepatite, mas não é. Muitas outras doenças podem causar icterícia, como a leptospirose, inflamação da vesícula etc. Por outro lado, apenas uma pequena parte das hepatites (10 a 20% dos casos) evolui com icterícia.

--Publicidade--

Hepatites Virais: Uma epidemia silenciosa

As hepatites virais propriamente ditas são causadas por vários vírus que recebem os nomes das letras do nosso alfabeto, de A a G. Outros vírus podem causar hepatites no contexto de suas doenças, como é o caso do Dengue, Citomegalovírus (CMV), Epstein Barr (causador da mononucleose infecciosa) e outros.

A hepatite A é geralmente doença da infância, de curso benigno, agudo, que nunca cronifica e excepcionalmente (menos de 1% dos casos) causa forma grave. Tem transmissão fecal oral, isto é, um indivíduo doente elimina vírus pelas fezes, que contaminam água e alimentos que podem causar hepatite se ingeridos por um indivíduo susceptível. Quando acomete adultos, pode causar formas graves. A hepatite E tem comportamento semelhante, exceto pelos casos graves, que costumam ocorrer em gestantes.

--Publicidade--

A hepatite B tem transmissão sexual e parenteral, como agulhas (inclusive de tatuagem), seringas, alicates de unha e outros instrumentos. Os casos reduziram-se muito nos últimos anos por causa da vacinação universal das crianças. A hepatite B costuma curar espontaneamente em 90% dos casos; apenas 10% evoluem para a forma crônica e destes, 10% (1% do total de casos) evoluem para cirrose e ou hepatocarcinoma (câncer de fígado). Existe tratamento específico, que apresenta alto índice de cura.

A hepatite C, diferentemente da B, não tem transmissão sexual, apenas parenteral. Porém, ainda não existe vacina para ela e a cronificação da doença ocorre em 50% dos casos; destes casos crônicos, 50% (1/4 do total de casos) evolui para cirrose e câncer de fígado. Estimativas apontam para 200 milhões de casos pelo mundo hoje. Existe tratamento específico, com bons índices de cura.

Se você já fez sexo sem preservativo, se já usou alicate de unha de outras pessoas (principalmente de salão de beleza), se tem tatuagem e se tomou transfusão sanguínea antes de 1983, peça ao seu médico para fazer o teste de hepatite. Quanto mais cedo é descoberta, maior a probabilidade de cura.

Previna-se: faça o teste. Cuide-se!

Até a próxima!

--Publicidade--

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui