Viagens com o Pet

Viagens com o Pet

Muitos cães amam andar de carro, mas, outros, nem tanto. Então, é preciso acostumar seu amigo desde cedo a passear no carro.

 

Imagine se, na primeira vez que ele precisar sair com você, vocês ficarem presos no trânsito, vários carros buzinando e motos barulhentas, cair uma chuva muito forte ou ser um dia de muito calor? Qualquer uma dessas situações pode ser bem traumática, se o seu cachorro não estiver acostumado.

Vamos dar a partida?

O carro deve ser um lugar que o cachorro se sinta seguro. Então, comece o treino com o veículo desligado e peça para o cachorro entrar sozinho, sem forçar. Estar no carro precisa ser agradável, não uma obrigação. Ofereça uma guloseima, brinque com ele e, quando ele já estiver mais confiante, ligue o carro, ofereça um petisco, acelere, também buzine, sempre recompensando os bons comportamentos com petiscos e muito elogio. A ideia é transformar o carro em um lugar muito legal.

Quando você tiver certeza de que seu cachorro está bem confortável dentro do automóvel, leve-o em trajetos curtos, que você não precise sair do carro. Ou então, dê uma volta no quarteirão, pelas ruas mais calmas e sem muito barulho. Se tiver alguém para acompanhar vocês nesses primeiros passeios, será uma ótima ajuda. Enquanto um dirige, o outro pode brincar e alegrar o cãozinho.

Depois, você deve levá-lo a lugares divertidos, como um passeio no parque, ou para a casa de algum amigo. Assim, ele não irá associar sair de carro somente com as visitas ao veterinário para tomar vacina ou quando estiver doente.

Alguns cães ficam enjoados no carro devido à movimentação. Nesses casos, é necessário conversar com o médico veterinário sobre qual medicação evita esse desconforto. Também é muito importante sair com segurança! Seu amigão deve sempre estar com o cinto adequado para cães ou dentro de uma caixa de transporte.

Atenção: não deixe que ele ande com a cabeça para fora da janela! Além de correr o risco de bater em alguma coisa ou do animal pular com o carro em movimento, o vento muito forte também pode provocar otite e a poeira pode irritar os olhos.

Para as viagens mais longas, faça uma malinha com alguns itens, como ração, água, brinquedos, e claro, a coleira e a guia, além de saquinhos para recolher as fezes. Faça algumas paradas durante o trajeto, para que ele possa fazer as necessidades, tomar água e esticar as patinhas.

Lembre-se: deixe sempre na coleira uma plaquinha de identificação, com um telefone que você possa ser encontrado durante a viagem, em caso do cão se perder.

Se você sair durante um dia muito quente, verifique se o sol não está batendo diretamente no cão e não o deixe no carro sozinho nem por cinco minutinhos, mesmo com as janelas um pouco abertas, pois a hipertermia ocorre muito rapidamente nos cães, podendo levá-los a morte.

Viagens com o Pet

A carteira de vacinação é obrigatória para viagens entre estados, assim como um atestado de saúde emitido por escrito pelo médico veterinário, mesmo que essa viagem seja só a passeio.

Seguindo essas dicas, você terá um ótimo companheiro de viagens. Bom passeio!

Renada de Mendonça é adestradora da Cão Cidadão (www.caocidadao.com.br), empresa criada pelo zootecnista e especialista em comportamento animal, Douglas Cepetto. Atuou como treinadora nos programas “Cachorro mau”, da Tv Marissol e “Pet Pitoco”, do Radio Cabocla. É autora de artigos de comportamento e adestramento no Blog do Pet Pitoco, no portal R7 e no Blog do Meu Amigo Pet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *